Skip to main content
Easy Tax

O “Easy Tax” nasce de uma parceria entre a EY e o Jornal Económico, que pretende abordar, de uma forma simples e intuitiva, os temas fiscais mais relevantes da atualidade nacional e internacional. Pretende-se que o leitor aceda a conteúdos técnicos de uma forma rápida e que também possa ler a opinião de especialistas sobre temáticas atuais e relevantes.

Sabemos ainda que ao falar de impostos, todos querem antecipar, na medida do possível, qual o valor que será devido e por isso trazemos igualmente para esta plataforma vários simuladores de cálculos de impostos que podem ajudar os leitores do Jornal Económico nesse exercício.

Com esta parceria, a EY incorpora o seu propósito global de construir um melhor mundo de negócios (que resulta do lema internacional: “Building a better working world”).

Em destaque
Últimas Notícias

EM DESTAQUE

TaxAlert - Proposta de Lei do Orçamento do Estado 2021 (PL OE 2021)
Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2021 - O contexto que atualmente estamos a viver torna o processo de apresentação da PLOE2021 único e sem qualquer paralelo na história da democracia em Portugal.
Organismos de investimento imobiliário: Crónica de uma novela anunciada
Na última década, muitas foram as revisões e interpretações dadas às normas que regulam a tributação dos organismos dedicados ao investimento imobiliário em Portugal (i.e. os organismos de investimento coletivo ou OIC). Dirão alguns que terão saído a ganhar os investidores, dirão outros que as vantagens trazidas por estas regras não terão sido suficientes para compensar a instabilidade legislativa do regime fiscal dos OIC, um fator que em muito impacta a rendibilidade destes veículos.
Gastos de financiamento e legislação anti-híbridos
Na senda da ATAD II (“Anti Tax Avoidance Directive”), diretiva europeia que estabelece regras contra práticas de elisão fiscal, foi transposto para a legislação portuguesa um regime de limitação da dedução de gastos resultantes de pagamentos transfronteiriços em situações qualificáveis como assimetrias híbridas, concretamente quando tais pagamentos originem uma dupla dedução de gastos ou ainda uma dedução de gastos sem inclusão (“tributação”). Embora a norma se aplique a pagamentos de qualquer natureza, é expectável que tenha especial relevância quanto aos financiamentos transfronteiriços e respetivos juros.
Empresas familiares – Alguns aspetos a focar durante e no pós-pandemia
As empresas familiares são um pilar fundamental da atividade económica, em resultado, entre outros aspetos, de constituírem, habitualmente, projetos de longo prazo que assumem um compromisso acrescido perante os seus colaboradores e as comunidades. Estas empresas enfrentam desafios únicos, particularmente em situações de crises, que diferem bastante daqueles com que se deparam as restantes empresas.
Setores
PALOP-TL
Disclaimer

Na preparação deste Guia, foram feitos todos os esforços para poder oferecer informação correta, clara e atual. Todavia, a informação contida neste texto pretende apenas providenciar informação de orientação geral. A publicação é distribuída pela EY, a qual não é responsável pelo resultado de quaisquer atos ou ações decididas ou tomadas unicamente com base na informação desta publicação.

A EY não pretende através desta publicação dar conselhos de natureza legal, fiscal, financeira ou contabilística. Os leitores são encorajados a consultar profissionais no intuito de obter aconselhamento antes de tomar qualquer decisão.

A informação desta publicação deve ser usada como uma ferramenta de pesquisa apenas, e não no lugar da pesquisa a cargo de consultores fiscais com respeito a assuntos dos seus clientes.