Skip to main content

Inovação na digitalização da função fiscal

A inovação, a digitalização de modelos de negócios e mercados globais hipercompetitivos estão a impulsionar os negócios a uma velocidade sem precedentes.

 

A inovação está a substituir a economia de custos como uma prioridade para muitas empresas. As empresas precisam de testar as vantagens que as diferentes soluções tecnológicas podem permitir ao nível da função fiscal, como por exemplo: 

  • A robótica de processos ajuda a automatizar a recolha e tratamento de dados;
  • A internet das coisas minimiza o volume de documentação física;
  • A inteligência artificial, que se está a tornar mais vulgar, permite correlacionar dados e trabalhá-los em profundidade;
  • O blockchain não só está pronto para impactar no mundo dos negócios e das transações financeiras, mas conjungando as suas capacidades transacionais com as capacidades cognitivas da Inteligencia artificial, poderá automatizar muitas transacçoes e o seu reconhecimento financeiro e fiscal;
  • A análise de big data já permite uma melhor tomada de decisão, incluindo análise preditiva.

E as empresas não estão sozinhas na busca da inovação: as autoridades fiscais também estão a inovar e adoptar rapidamente a digitalização, impondo necessidades de compliance por parte dos contribuintes a níveis sem precedentes quer quanto ao detalhe dos dados, quer quanto aos prazos. 

Uma das grandes mudanças que estamos a assistir é que as autoridades fiscais estão tendencialmente a evoluir para exigências de compliance em tempo real ou quase em tempo real. E subsequentemente, podem, então, utilizar data analytics, inteligência artificial e blockchain para desenvolver perfis de risco sofisticados, sinalizar possíveis problemas de auditoria e identificar casos de maior risco para uma investigação mais profunda. Historicamente, os dados contabilísticos têm sido o ponto de partida para o compliance fiscal. Esse luxo não vai existir no futuro. A informação será partilhada em tempo real. 

Todas essas forças colocam a inovação no topo da agenda dos CEOs e CFOs de empresas visionárias e, por sua vez, na agenda da função fiscal. Para estar preparada para o futuro, a função fiscal precisa de uma mentalidade empreendedora e uma pré-disposição para experimentar novas tecnologias, novas maneiras de fazer as coisas e novas maneiras de pensar a própria função tributária 

As empresas sempre tiveram que pensar em como fazer coisas novas e de novas maneiras, mas a tecnologia e o ritmo de mudança aceleraram ao ponto em que as empresas precisam igualar essa taxa de mudança. Para isso, cada função dentro da empresa também precisa considerar como a tecnologia e as novas abordagens a impactam. E a função fiscal tem o papel de apoiar não apenas as iniciativas de inovação da empresa, mas todas as mudanças em torno da agenda digital.

Uma cultura fiscal que apoia a inovação, incluindo uma mentalidade de try-fail-refine,é essencial. A base da função tributária de ontem foi a especialização técnica. Hoje, os conhecimentos tecnológicos e a capacidade de se compreender o negócio são cada vez mais essenciais.  Por isso, a inovação do processo de transformação digital da função fiscal pressupõe o desenvolvimento de 6 dimensões chave: 

  • Compreender a tecnologia disponível para aproveitar big data, usar data analytics para visualizar e controlar os dados relevantes para efeitos fiscais para permitir tomadas de decisão rápida e uma eficaz gestão de riscos;
  • Desenvolver competências de IT dentro a função fiscal para alavancar futuras tendências e aplicações tecnológicas.
  • Compreender a natureza das análises que as autoridades fiscais estão a desenvolver e, trabalhando conjunto com as áreas financeira, de IT e outras áreas de negócio, desenvolver processos que permitam compliance em tempo real, e, simultaneamente, assegurar a capacidade de avaliar os dados de maneira proativa.
  • Criar linhas de comunicação fortes com os parceiros de negócios da empresa
  • Desenvolver uma forte cultura de inovação dentro da função fiscal, pré-disposta à inovação permanente e com uma cultura de try-fail-refine.
  • Obter suporte de CEO / CFO para investimentos necessários em tecnologia tributária, demonstrando que os benefícios tangíveis e intangíveis associados para a organização terão um pay back indiscutivel O desafio para as empresas e para a função fiscal de hoje é ser ágil o suficiente para antecipar a imprevisibilidade do futuro e fazê-lo rapidamente.